lançamento

Recortes do Brasil Colônia em quadrinhos

Christopher Kastensmidit lança saga de Oludara e Gerard van Oost em novo formato

00:00 · 03.01.2015

Um guerreiro iorubá e um viajante holandês encontram-se em um Brasil Colônia permeado por aventuras, disputa de poder e seres encantados em uma selva a ser desbravada. Além do roteiro envolvente e leve, que pode alcançar o público mais jovem com facilidade ainda maior, o interessante e curioso da obra "A bandeira do elefante e da arara - o encontro fortuito" adaptada para quadrinhos é a autoria: Christopher Kastensmidit, um norte-americano que vive no Brasil há 15 anos.

Quando o escritor veio ao País pela primeira vez, em 1997, logo buscou saber mais sobre as raízes desta terra. Assim, durante anos pesquisou a História até escolher o período em que o Brasil foi colônia de Portugal como época das aventuras de "A bandeira do elefante e da arara", série escrita desde 2006, conhecida como "Duplo Fantasia Heroica", mas que só neste ano foi concretizada nas páginas de quadrinhos.

"Pensei na comunhão, na convergência de culturas, nos jesuítas, europeus, nativos e achei uma época interessante para ambientar uma aventura. Desde lá acumulei uns 200 livros sobre história da cultura das tribos tupis. Para fazer uma história dessas, com um tratamento leal e justo, tive de entender a época", conta Christopher, com leve sotaque estrangeiro unido ao inconfundível falar gaúcho.

Mistura

No site do livro, administrado pelo escritor, há uma frase do Padre Antônio Vieira que traduz um pouco da essência de "A bandeira do elefante e da arara - o encontro fortuito": "O Brasil tem o corpo na América e a alma na África".

A reunião da ambição europeia, a perspicácia africana e a sabedoria nativa dão corpo à noveleta que conta a história do viajante holandês Gerard van Oost, que pretende formar uma tropa bandeirante e, para isso, pede ajuda a Oludara, um escravo que acabara de chegar de Ketu.

Entre lendas compostas por personagens do folclore brasileiro, como Boitatá e Saci Pererê, e embates com outros europeus que desejam dominar o território tupiniquim, o enredo se desenrola a partir da amizade firmada entre personagens de origens extremamente distintas, mas em uma narrativa que não evoca maniqueísmos. As ilustrações de Carolina Myliuse, parceira de Christopher na concepção dos quadrinhos, revelam detalhes da postura imponente do escravo Oludara e do olhar observador de Gerard.

"Trabalhei durante 15 anos na indústria de games e hoje dou aula na área. Conheci muita gente e nessa época comecei a pensar em trabalhar com outras mídias, como quadrinhos. Para mim, foi legal trabalhar com esse formato. A Carol trabalhava comigo na empresa de games e eu sugeri esse projeto". Antes do lançamento em quadrinhos, as histórias que compõem a série "Duplo Fantasia Heroica" foram publicadas em seis países e adotadas em salas de aula brasileiras. Com a repercussão positiva, a obra foi premiada como melhor história do ano pela revista norte-americana Realsof Fantasy e foi finalista do prêmio Nebula em 2011.

Devido ao apoio da Lei de Incentivo à Cultura, alguns exemplares de "A bandeira do elefante e da arara" foram distribuídos em escolas do País, dentre elas, a escola pública Governador Luiz de Gonzaga Fonseca Mota, em Amontada.

Segundo Christopher, a chegada de seus livros no Ceará reforçou seu desejo de lançar a obra e realizar oficinas e palestras no Estado. Além disso, a inspiração de Carolina para o dragão africano dos quadrinhos foi uma ilustração do artista Paulo Ítalo, de Fortaleza, que também desenhou as primeiras versões dos personagens principais da série.

Atualmente, Christopher trabalha em um romance com os mesmos personagens da série e, aproveitando a paixão por games, em um jogo de tabuleiro com a mesma temática. "Daqui para frente não quero adaptar, mas contar outras histórias, escrevendo o romance e pretendendo lançar outras histórias em quadrinhos", finaliza.

LIVRO:

A bandeira do elefante e da arara - o encontro fortuito
Christopher Kastensmidit E Carolina Mylius
Devir
2014, 168 páginas
R$ 15

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.